quarta-feira, 16 de outubro de 2013

PAPA DE CRIAÇÃO

16 de Abril de 2010

Por experiência sei que o que funciona comigo, em termos de métodos de criação de canários, pode não funcionar ou dar o mesmo resultado se utilizado por outro criador. De um modo geral os métodos de criação são similiares, havendo ligeiras variações, mas sempre com o mesmo fim; a obtenção do melhor resultado possível.
Também já tive a minha fase de fazer perguntas, antes da Net, a criadores que sabiam mais do que eu, com o aparecimento da Net a fazer pesquisas, por blogues, fóruns, artigos e mais uma panóplia de sites vocacionados para a criação de aves.
Tudo isto bem a lume porque há dias uma pessoa que segue este blogue - ao ler isto ele saberá a quem me refiro - e que é iniciante nesta coisa da criação de aves (vim depois a saber que se está a inicar na raça do Canário Arlequim Português) disse-me mais ou menos isto: "- Sabe ando a seguir o seu blogue estou a seguir os seus métodos e estou satisfeito com o resultado!". Esta simples frase soou como um sinal de alarme na minha mente. Porque apesar de ter a noção das pessoas que diariamente acorrem a este espaço e apesar de ter o maior cuidado em tudo o que escrevo, o que transmito neste espaço são os meus parcos conhecimentos e as minhas opiniões pessoais.
Tenho este blogue pelo prazer que me dá partilhar os meus passarinhos, bons ou menos bons, com quem me segue e visita este espaço, pelo prazer que tenho em emitir a minha opinião sobre várias matérias em alguns casos discordando noutros concordando com opiniões de outras pessoas, sempre de forma sadia, responsável, e salutar; mas confesso (que além de ter gostado de saber que ajudo alguém) não me passou pela cabeça que houvesse pessoas a seguirem os meus métodos.
Por o que atrás disse vou colocar a seguir o "esquema" que este ano estou a utilizar para a papa que dou aos canários que têm filhotes, alertando mais uma vez que o que para mim dá resultado pode não dar com outro. Comecei incialmente por dar só germinado e papa (o meu germinado é só semente de níger). Depois experimentei adicionar mistura cozida na papa e reduzi ao germinado e aconteceu uma coisa engraçada dois ou três casais andavam atrás dos filhotes para os alimentar e estes, saciados, fugiam o que me levou a concluir que as sementes cozidas enchiam demais os pássaros, além do perigo de azedarem mais rapidamente quando o tempo quente aparecesse. Assim, optei por seguir o método que de certeza muitos utilizam mas poucos divulgam que consiste no que a seguir explico, passo a passo:


1 - Calculo aproximadamente a quantidade de mistura normal de canário que vou precisar para o dia seguinte e coloco-a numa vasilha adicinando-lhe água até a cobrir, ficando assim por 24:00 horas;

2 - Calculo a papa que vou dar aos canários que têm filhotes e coloco-a numa vasilha;

3 - Adiciono à papa, depois de bem escorrida, a mistura que ficou de molho desde o dia anterior;

4 - A papa depois de bem envolvida com a mistura fica com o aspecto da foto acima.

5 - Como por muito bem que se calcule sobra sempre papa adiciono, à papa com mistura humedecida, uma colher rasa de sopa de mistura seca; (mais abaixo explico porquê)



6 - Depois dos 5 passos acima referidos junto, finalmente, o germinado (no meu caso semente de níger);


7 - Aspecto final da papa, pronta a dar aos casais que têm filhotes.

Porque junto a mistura de sementes secas na papa? Simples, mal aos pais não faz, porque a dão às crias e estas quando saiem do ninho e começam a debicar depois de comerem as sementes mais amolecidas vão "treinando" a descascar as duras e começam a comer sózinhas bastante mais cedo. Para além disso a papa que sobra vai para a voadora onde os juvenis se deliciam com ela.
Como veem uma maneira simples e eficaz de se aproveitar tudo.

PS. Tirado do Blog de Armindo Tavares

Sem comentários:

Enviar um comentário